quarta-feira, agosto 30, 2006

Saxon - The eagle has landed



Download
Ano: 1982
Gênero: New wave of british heavy metal






Após um bom tempo sem postar nada, eis um belo live do Saxon, uma das mais importantes bandas de Heavy Metal dos anos 80, e que toca por aqui em outubro.

\o

Um baita álbum, diga-se de passagem.

segunda-feira, agosto 28, 2006

Death - Leprosy


Download

Um puta album de death metal, do Death, porra!
Na verdade, o leso do Terry Butler não tocou uma única nota do baixo nesse album. Chuck disse numa entrevista que como havia muito material, e a situação ficou um pouco complicada para Butler a ponto de impossibilitar a gravação. Mas como eram muito amigos, Chuck o deixou levar os créditos.
Sim, foi Evil Chuck Schuldiner que tocou o baixo no album :x

Gênero : Death Metal

Ano de lançamento : 1988

Line Up :
Chuck Schuldiner : Guitarra, Vocal
Rick Rozz: Guitar
Bill Andrews: Bateria
Terry Butler: Baixo(?)

Tracklist:

01. Leprosy
02. Born Dead
03. Forgotten Past
04. Left To Die
05. Pull The Plug
06. Open Casket
07. Primitive Ways
08. Choke On It

sexta-feira, agosto 25, 2006

Iron Maiden - A Matter of Life and Death

Ano de Lançamento: 2006
Gênero: Heavy Metal (ou será Progressivo? O.O)
Downloads:
Porque eu me amarro em ter o CDs antes de lançar =D (Não, esse não é promo, é o próprio A Matter of Life and Death). O CD tá cheio de altos e baixos, mas tá muito bom com possíveis músicas memoráveis como The Pilgrim, ou The Longest Day, ou Out of the Shadows (que parece mais com a carreira solo de Bruce) e For the Greater Good of God.
Bem, eu gostei do CD. Está ae para vocês =D Novinho em folha. (e eu me amarrei nessa capa!)

1.Different World04:19
2.These Colours Dont Run06:52
3.Brighter than A Thousand Suns08:46
4.The Pilgrim05:08
5.The Longest Day07:48
6.Out of the Shadows05:37
7.The Reincarnation of Benjamin Breeg07:22
8.For the Greater Good of God09:25
9.Lord of Light07:25
10.The Legacy09:23

segunda-feira, agosto 21, 2006

Rainbow - On Stage

Ano de Lançamento: 1977
Gênero: Hard Rock/Heavy Metal
Download:

Único ao vivo do Rainbow com o Dio. Eu babo ouvindo esse albúm ~~O: .
Esse ao vivo mata a pau qualquer outro!



Tracks:
Time:
1.Intro: Over the Rainbow/Kill the King05:31
2.Man on the Silver Mountain/Blues/Starstruck11:15
3.Catch the Rainbow15:36
4.Mistreated13:07
5.Sixteenth Century Greensleeves07:37
6.Still I'm Sad11:05

quarta-feira, agosto 16, 2006

Ozzy Osbourne - Tribute : Randy Rhoads


Download

Porra, tributo ao Randy, muito foda esse album, só não vou fazer uma resenha porque vou me emocionar e falar demais. Me limito a dizer para baixá-lo.

Ano de Lançamento :
1987, mas o show foi gravado em 1981

Line up:
Ozzy - vocal
Randy Rhoads - guitarra
Rudy Sarzo - baixo
Tommy Aldridge - bateria

Tracklist:
1. I Don't Know
2. Crazy Train
3. Believer
4. Mr. Crowley
5. Flying High Again
6. Revelation (Mother Earth)
7. Steal Away (The Night)
8. Suicide Solution
9. Iron Man
10. Children of the Grave
11. Paranoid
12. Goodbye to Romance
13. No Bone Movies
14. Dee

terça-feira, agosto 15, 2006

Metallica - Master Of Puppets


 
Download

é. acho que o meu post não será muito útil, pois este album é um clássico e com certeza todos aqui o têm. mas como é O Master Of Puppets eu não podia deixar de postá-lo! :B

Ano: 1986
Gênero: Thrash Metal

Tracks:

1- Battery
2- Master Of Puppets
3- The Thing That Should Not Be
4 - Welcome Home (Sanitarium)
5- Disposable Heroes
6- Lepper Messiah
7- Orion
8- Damage, Inc.


domingo, agosto 13, 2006

Dream Theater - Live at Claro Hall 2005 (bootleg)

Download:
(não, eu não tive escolha, tive que pôr em 4 partes. Lembrando: para quem tem Velox, ou outra banda larga de ip dinâmico, é só desconectar e reconectar para mudar o ip, e poder baixar o outro CD sem ter que esperar 2 horas =D)

Como estava há um bom tempo sem postar nada, precisava postar algo que valesse a pena!
Esse é o show do Dream Theater que teve em 2005 no Claro Hall, aqui no Rio de Janeiro, que meu amigo gravou. A qualidade está MUITO boa, e é um material raro, pois acredito que é o único material gravado do show daqui.


Review especial, feita por um amigo, muito boa leiam!!:

A última vez que o Dream Theater havia pisado no país da piada pronta havia sido em 1998, na turnê do Falling Into Eternety,
se a memória não falha. Sete anos depois, porém, eles voltam e a espectativa em torno do show era gigante. Cheguei
razoavelmente em cima da hora e me deparei com um Claro Hall completamente lotado, como só tinha visto uma vez, na turnê da
Donzela em 2004.

Em São Paulo haveriam 2 shows, com set lists diferentes: No primeiro dia, rolaria o set normal da banda na turnê. No segundo,
os estadunidenses iriam fazer um set pra lá de especial, tocando o clássico "Scenes From a Memory" na integra. Não pude deixar
de sentir inveja dos paulistas, mas enfim, era Dream Theater e o show aqui tinha tudo para ser memorável.

Como a precisão do baixo de Myung, o show começa pontualmente às 22:30 com a música de abertura do excelente "Octavarium",
"The Root of all Evil". Música pesada, serviu bem para abrir o show. Eles emendaram logo com "Panick Attack", também do
"Octavarium". Apesar de novas, o público reagiu muito bem e agitou consideravelmente o lugar. E o LaBrie mandou muito bem
nessas músicas, surpreendendo alguns (eu).

Passado o primeiro momento, LaBrie fala as velhas frases clichês do tipo "It's good to be back after seven years blá blá blá...
and you can make...a Fortune in Lies". Foda. A primeira surpresa da noite, música de abertura do primeiro cd deles, uma
resgatada bem legal por parte deles, acho que ela não era executada a sei lá, 10 anos? A próxima seria o primeiro "clássico"
da noite: "Under a Glass Moon" do Images and Words, executada perfeitamente (duh) e agitando ainda mais o público. Agora é a
vez de uma das melhores músicas do grupo "Caught in a Web" do Awake. E realmente foi um dos pontos altos do show. Mas tipo,
eu temi pelo LaBrie nessa música. Mas pqp, o cara tava mandando muito! Depois eu comento mais sobre ele...

"Peruvian Skies" veio em seguida, mas eu admito que não lembro muito bem do momento, só da empolgação da galera quando veio
mais essa supresa.

Agora veio o melhor momento do show (pra mim, é claro): a dobradinha do Scenes from a Memory "Strage Deja Vu" e "Fatal
Tragedy". Pqp, como nego pulou nessa hora. Cada frase era cantada em unissono pelos presentes.

As próximas três "músicas" do set seriam na verdade parte da última música do "Six Degrees Under Turbulance", o que resultou
em um verdadeuro espetáculo de técnica dos membros da banda, que, se não esbanjam carisma (excetuando o Portnoy) de bandas
como Saxon ou Accept, compensam no virtuosismo e precisão das difícilimas músicas.

Bem, agora chegou a parte chata (no meu ponto de vista) do show. Algumas músicas do tosco "Train of Thought" (pior cd da
banda): a boa "As I Am" e a dispensável "Endless Sacrifice". Eu já estava cansado durante a Losing Time, então fomos para
fora do caldeirão para nos sentar lá naqueles sofászinhos vermelhos do lado de fora do show. Quando vimos as músicas que se
seguiram, resolvemos ficar por lá mesmo até que viesse algo mais interessante. Fiquei vendo o show pelas televisões que tem
lá, então não perdi tanta coisa ;). Enfim, depois de Endless Sacrifice, veio a super balada gay do "Octavarium", "I Walk
Beside You" e a também nova "Sacrificed Sons". Do lado de fora vi uma cena engraçada: ALém da area externa estar cheia, havia
pessoas dormindo nos sofás, alheios ao show. Não posso culpa-los, para alguém que não seja fã de DT, um show de quase 3 horas
pode dar muito sono.

Bem, saimos do descanso e voltamos ao show pouco antes da "Octavarium" entrar. Olha, gosto muito dessa música e tals, mas foi
desnecessário. Cinco músicas do novo cd, tendo uma quase 25 minutos é demais. Isso somado as músicas do "Train of Thought" e
do Six Degrees (muito bom, mas se era para tocar algo dele, podiam ter escolhido a Glass Prison"), esfriou o show e deixou-o
cansativo para muitas pessoas. Claro, muita gente gostou, mas eu imagino como seria se ao invés da "Octavarium" colocassem a
"A Change of Seasons" e no lugar de "Endless Sacrifice' algo como "Take The Time" ou "Lie"... Enfim, o show ainda não tinha
acabado.

Logo após a Octavarium (vale ressaltar: PERFEITAMENTE executada e muito bem aceita em geral), pelo que eu lembro a banda sai
para o bis. Na volta, vem com a balada clássica do DT: "The Spirit Carries On", emocionando muitos presentes, que cantavam
TUDO, batiam palma etc...

E agora, no final, para quebrar tudo um medley "Pull Metropolis" e que quase botou o Claro Hall abaixo. Agora, novamente,
porque fazer um medley logo em 2 dos maiores clássicos da banda? Só porque acharam o nomezinho legal? Enfim, apesar de tudo,
o medley fechou com chave de ouro um show que, se não foi perfeito, não poderia ser classificado como menos que "excelente".
No final, a banda se despede do enorme carinho recebido e parte, e agora só podemos esperar que ela não demore mais 7 anos
para voltar.



Agora, vamos falar de cada membro da banda individualmente:

Começando pelo showman da banda: Portnoy. Sério, se você acha que ele é foda, impressionante etc, nos álbuns, você não tem
idéia de como ele é absurdo ao vivo. O cara brinca. Canta, gira baqueta, joga elas pro alto, toca com uma mão, toca em pé e
tudo isso tocando em uma das bandas mais técnicas e complexas da atualidades. Ele rouba a atenção completamente.

Vamos falar do Petrucci. Outro cara que simplesmente detona e demonstra uma habilidade monstruosa no seu instrumento. Em
praticamente 3 horas de show, com solos e mais solos de nível técnicos altíssimos, o cara não perdeu UMA nota sequer. Pode
não ter presença de palco e alguns podem chama-lo de sem feeling (na grande maior parte do tempo isso é bobeira), máquina de
tocar e tudo mais, mas ver um guitarrista com tanto empenho e domínio sobre um instrumento é de tirar o folego.

Myung é um baixista foda. Também não errou nenhuma vez nas suas linhas de baixo complexas, mas também não foi um robô, e eu
juro que vi ele dando umas bangueadas em alguns momentos do show. Um baixisita que eu sempre admirei e foi ótimo acompanha-lo
durante o show.

O Rudess é outro que prima pela técnica, sendo um dos tecladistas mais respeitados do cenário do Metal atual. Impecável, só
teve um momento em que foi chato ele tocando tããão lentamente durante uns 5 minutos na Octavarium, mas isso não é culpa dele.

Agora, para finalizar, a surpresa da noite: James LaBrie. Sério, se você ouve o Live Scenes From New York e depois esse show
você não acredita que é a mesma pessoa. Ele arrebentou e me surpreendeu MUITO. Para quem não sabe, o desempenho do LaBrie sempre foi bom, mas ele forçou tanto a voz que ESTOROU uma corda vocal, ficando um enorme período sendo vergonhosa as suas
participações ao vivo, e foi quase demitido da banda. Porém retornou as aulas de canto e teve uma melhora espantosa, chegando
a esse show atingindo todas as notas e só foi prejudicado algumas vezes pelo som baixo do microfone.

A banda em geral é isso ai: Muita competência, mas mesmo assim surpreendendo no set e em algumas músicas, fazendo
improvisações do nada e fazendo palhinhas no meio das músicas de bandas como Metallica e Pink Floyd. Uma banda para ficar na
história e que ainda tem muito futuro pela frente.
by Marcelo Betz (Krebain)


Ano de Lançamento: 9 de dezembro de 2005 (bem, na verdade nunca lanço nem vai lançar, massss)
Gênero: Prog Metal

Set List:

Tracks:
Time:
1.The Root of All Evil
11:44
2.Panic Attack
06:42
3.Fortune in Lies
05:04
4.Under a Glass Moon
08:42
5.Caught in a Web
05:44
6.Peruvian Skies
10:49
7.Strange Deja-Vu
05:14
8.
Fatal Tragedy
08:09
9.
Solitary Shell
05:37
10.
About to Crash (reprise)
04:14
11.
Losing Time
05:31
12.
As I Am
07:29
13.
Endless Sacrifice
11:25
14.
I Walk Beside You
05:37
15.
Sacrificed Sons
10:43
16.
Octavarium
26:47
17.
The Spirit Carries On
09:54
18.
Pull Me Under
09:00
19.
Metropolis pt.1
06:39


(de vez em quando dá para ouvir ele gritando, HAHAHHA, mas nada que atrapalhe!)
OBS: Agradeço a Bruno, que gravou o show, e deixou eu colocar aqui no blog!

sexta-feira, agosto 11, 2006

Last days of humanity - Hymns of indigestible suppuration

Download:
http://rapidshare.de/files/29058266/Hymns_of_indigestible_supuration.rar.html
Ano: 2000
Gênero: Goregrind

Track list:
1)Maggot feast on a swollen fetus
2)48th cut
3)Rectal bowel inquisition
4)Intoxicated
5)The taste of festering vomit
6)Consuming purulent sputum
7)From flesh to liquid mess
8)Reeking mush beneath each cavity
9)Orgasmic abortion
10)Catering from the womb
11)Acute palatable hemorrhage
12)Perforated festered scrotum
13)Stirred intestines
14)Wet remains
15)Purulent odour in stoma
16)Defecating anal sludge
17)Rancid tumour excretion
18)Wide open wounds on a disfigured
19)Hymns of indisgestible suppuration
20)Ulcerated offal
21)Defleshed by flies
22)Bowel exhibition
23)Raped in the back of a van

Excelente trabalho desses Holandeses retardados. Quem curte um som brutal, extremo, podreiras e afins, não pode deixar de conferir o trabalho desta banda maravilhosa. Destaque para as faixas: Raped in the back of a van,
The taste of festering vomit e Wet remains.

quinta-feira, agosto 10, 2006

Dream Theater - Images and words



Download: http://rapidshare.de/files/28806001/Dream_Theater_-_Images_and_words__Senhor_Castor_s_up_.zip.html
Ano: 1992
Gênero: Progressive metal


Line up:

James LaBrie: vocais.
John Petrucci: guitarras.
John Myug: baixo.
Kevin Moore: teclados.
Mike Portney: bateria.




Um clássico obrigatório do Révi métau, e não é pretensão dizermos que é um dos maiores álbuns do Heavy Metal progressivo. É o segundo, e, um dos melhores registros do DT. Lançado em 92, pode-se dizer que foi daqui que o quinteto estadunidense se fez conhecer pelo mundo. É o primeiro com James LaBrie nos vocais. Enfim, este álbum contém algumas das músicas mais famosas do DT, tais "Metropolis pt.1" (que 'inicia a saga' que será continuada pelo álbum "Scenes from a memory", de 99), "Take the time", "Pull me under" e "Learning to live". Arranjos complexos, longas passagens instrumentais, muitos solos e músicos de técnica absurda. Eis o álbum.

\o

quarta-feira, agosto 09, 2006

Dream Theater - Dark Side Of The Moon


 
Download

ta aí um bootleg oficial do DT de um cover ao vivo do Dark Side Of The Moon do Pink Floyd
só não digo que está perfeito porque Pink Floyd É Pink Floyd, mas está quase tão perfeito quanto o original.

quem quiser o video trailer, baixe-o AQUI

Gênero: Rock Progressivo
Ano: 2006

Line up:

- James LaBrie / vocals
- John Myung / bass
- John Petrucci / guitar and vocals
- Mike Portnoy / drums and vocals
- Jordan Rudess / keyboards & lap steel guitar

With:
- Theresa Thomason / vocals
- Norbert Stachel / saxophone

Track Listing:

1. Speak To Me/Breathe (3:55)
2. On The Run (2:26)
3. Time (7:02)
4. The Great Gig in the Sky (4:35)
5. Money (6:35)
6. Us And Them (8:02)
7. Any Colour You Like (5:05)
8. Brain Damage (3:49)
9. Eclipse (2:48)

terça-feira, agosto 08, 2006

Scorpions - World Wide live




Download:
http://rapidshare.de/files/28576384/Scorpions_-_World_Wide_live__Senhor_Castor_s_up_.zip.html
Gênero: Hard Rock 80's/ Heavy Metal
Ano: 1985




Line up:


Klaus Meine: vocais.
Rudolf Schenker: guitarras base.
Matthias Jabbs: guitarras solo.
Franciz Buccholz: baixo.
Herman Rarebell: bateria.

Um álbum bem interessante para vocês. Gravado nos EUA, em 1985, este álbum é um resumo do Scorpions oitentista, com faixas do "Lovedrive" (79) , "Animal magnetism" (80), "Blackout" (82) e "Love at first sting" (84). Enfim, é o Scorpions no auge em termos de sucesso com um belo registro ao vivo. Performances seguras e com a típica energia dos alemães.

\o

quinta-feira, agosto 03, 2006

Deep Purple - Live in london




Download:
http://rapidshare.de/files/28097347/Deep_Purple_-_Live_in_London__1974__Senhor_Castor_s_up.zip.html
Gênero:
Hard Rock 70's/ Heavy metal
Ano: 1974


Line up:
David Covardale: vocais.
Glenn Hughes: baixo, vocais.
Ritchie Blackmore: guitarras.
Jon Lord: teclados.
Ina Paice: bateria.

1. Burn (6:51)
2. Might just take your life (4:30)
3. Lay down, stay down (4:38)
4. Mistreaded (11:21)
5. Smoke on the water (8:23)
6. You fool no one (17:58)


Esse é um registro meio desconhecido do Deep Purple. Diz-se que é um registro muito melhor que o "California Jam". Pode-se dizer que é o "Made in Japan" do Mark III. Um álbum fodasso, com muito improviso, músicas totalmente alongadas e modificadas, assim como o MIJ. Neste álbum, temos uma dupla de vocais que chega a assustar: Covardale no seu auge, arregaçando tudo com seu vozeirão potente (destaque para "Mistreaded", onde o cara tem uma performance fantástica) e Gleen Hughes, que além de ótimo baixista, faz um vocal agudo escabroso, com tanta qualidade quanto aos de Ian Gillan. Sobre Blackmore, Lord e Paice, são todos ótimos ( com direito a solo destes três na versão alongada e doida de "You fool no one".) Enfim, intenso e foda do início ao fim.





Virgin Steele - The Marriage of Heaven and Hell - Vol. 2

Download

Clássico Absoluto³! A continuação da saga The Marriage of Heaven and Hell conseguiu a grande proeza de superar a origem, a primeira parte, com musicas mais cativantes, lineares e melhores integradas entre si.

O line up de gravação é composto por David DeFeris nos vocais e nos teclados, Edward Pursino, que gravou as guitarras e, pra variar um pouco, o baixo e pelos bateristas Frank Girlchriest e Frank Zummo(em apenas uma música).

Num clima um tanto épico, o album tem como abertura a explendorosa 'A Symphony of Steele', com toda a sua mescla de velocidade e orquestrações, acentuações apoteóticas e vocais ao estilo rasgados, que acertou em cheio o gosto dos fãs. Logo após temos a belíssima 'Crown of Glory (Unscarred)' que chega ditando ótimas melodias de voz num clima que une perfeitamente o Heavy Metal ao Hard Rock, clima cujo foi quebrado pela instrumental 'From Caos to Creatio', que introduz 'Twilight of the Gods', esta possui um refrão pra lá de marcante.
Com a transcrição entre fortes guitarras de 'Rising Unchained' e a climática suave de 'Transfiguration', entram em centa composições de aproximadamente oito a dez minutos que se destacam como as duas jóias que fazem a diferença entre o início da saga e a continuação. Estas são 'Pormetheus The Fallen One e Emalaith. Elas mostram muita diversidade de composição e arranjo, em passagens épicas e um tanto 'grudentas', impressionante mesmo!

Na sequência a balada Strawgirl e a direta Devil/Angel possuem a sutileza e o lado mais Hard Rock da bada. E, falando nisso, é a gora do hit Unholy Water! Cativante em cada nota cantada e com um refrão que fica na sua cabeça para sempre desde a primeira audição, esta é um destaque absoluto em shows.

No mesmo clima épico da abertura o encerramento se dá com 'Victory is Mine', uma composição no estil obem típico da banda, e a instrumental The Marriage of Heaven and Hell Revisited.

Sem mas comentário algum, esse album é altamente recomendado para quem quer conhecer o Virgin Steele. Portanto, baixe- o já!

Gênero : Heavy Metal

Ano de Lançamento : 1996

Line Up :
David DeFeis : vocais
Edward Pursino : Guitarras e baixo em estúdio
Rob DeMartino : Baixo ao vivo
Frank Gilchrist : Bateria


Tracklist :
01. A Symphony Of Steele
02. Crown Of Glory
03. From Chaos To Creation
04. Twilight Of The Gods
05. Rising Unchained
06. Transfiguration
07. Prometheus The Fallen One
08. Emalaith
09. Strawgirl
10. Devil / Angel
11. Unholy Water
12. Victory Is Mine
13. The Marriage Of Heaven And Hell Revisited

quarta-feira, agosto 02, 2006

Virgin Steele - The Marriage of Heaven and Hell - Vol. 1

Download

A frase 'esta banda foi injustiçada' é bastante usada no metal, em geral se referindo a uma banda que tem talendo pra dar e vender (no caso, vender é mais importante, certo?), mas que por alguns problemas externos ou interos (talvez ambos) nunca saiu do circuito undeground. Pois sim, é o caso do Virgin Steele, que por ter extremo talento, se encaixa perfeitamente nesse contexto, tendo atravessado problemas com gravadoras, line ups instáveis e exeletes álbuns pedidos nos anos 80, resgatados apartir da década de 90.

Bem, após o lançamento do Life Among the Ruins(1993), que enfatizou a vertente Hard Rock da banda, o Virgin Steele iniciou uma saga tr00zona com The Marriage of Heaven and Hell Vol. 1, dando um passo fundamental parra a carreira/estilo da banda. Como o baixista Rob Demartino havia migrado para o Rainbow de Richie Blackmore (porém retornou para fazer a turnê do álbum), o guitarrista Edward Pursino, pra variar, somou o cargo de baixista aos seus afazeres. Joey Ayvazian, David DeFeis e Pursino assim constituiam o line up das gravações, nas respectivas funções de baterista, tecladista/vocalista e guitarrista/baixista.

Logo, em janeiro de 1995 este album foi lançado, aclamado pelos fãs e que apresenta composiçoes mesclando o Heavy ao Hard Rock, porém, em comparação com a segunda parte da sagao, com música talvez um pouco menos, ahm...? Ah! "Bombásticas". Mas nem por isso deixam de ser exelentes.

Abrindo o álbum, temos a marcante "I'll Come for You", a banda já mostrou que se tratava de um trabalho um tanto ambicioso. Outr00s destaques são as faixas "Blood and Gasoline", a climática "Self Crucifixion", as emotivas "Forever I Will Roam" e "House of Dust", as pesadíssimas "Last Supper" e "Trail of Tears" e uma das melhores musicas do álbum, senão a melhor "Blood of the Saints". O encerramento se dá com a faixa título, "The Marriage of Heaven and Hell", que é um belíssimo instrumental @_@!

O início d saga pode perder para a continuação em alguns quisitos sim, mas não há duvida alguma de que é um exelente álbum, portanto, baixe - o.

Gênero : Heavy Metal

Ano de Lançamento : 1995

Line Up :
David DeFeis - Vocal/Teclados
Edward Pursino - Guitarras/Baixo no estúdio
Rob DeMartino - Baixo ao vivo
Joey Ayvazian - Bateria

Tracklist :
01. I Will Come For You
02. Weeping Of The Spirits
03. Blood And Gasoline
04. Self Crucifixion
05. Last Supper
06. Warrior's Lament
07. Trail Of Tears
08. The Raven Song
09. Forever Will I Roam
10. I Wake Up Screaming
11. House Of Dust
12. Blood Of The Saints
13. Life Among The Ruins
14. The Marriage Of Heaven And Hell

AC/DC - AC/DC Live: Collector's Edition


Albúm ao vivo do AC/DC reunindo suas melhores músicas. Muito bom.

Download: Gênero: Hard Rock
Ano de Lançamento: 1992



Tracks:
Time: